quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O Amor nos Tempos do Cólera: Gabo no Cinema

(Márcia Oliveira)

O Amor nos Tempos do Cólera (Love in Time of Chole), estreou no cinema em dezembro de 2007, numa produção simples, porém bonita do diretor inglês Mike Newell.

O filme, baseado na obra de mesmo nome do colombiano Gabriel García Marquez (mestre do Realismo fantástico), se passa numa época em que a peste do Cólera assolava a América Latina e conta a história de Florentino Ariza (Javier Bardem) que se apaixona à primeira vista por Fermina Daza (Giovanna Mezzogiono), ao vê-la debruçada na janela da casa de seu pai.
A produção inglesa desta belíssima obra latino-americana, traz ainda no elenco Fernanda Montenegro, numa de suas mais fantásticas performances, interpretando a mãe de Florentino.

Florentino é um rapaz de origem simples, poeta e telegrafista, que tem como principal característica sua pureza e ingenuidade. É um homem extremamente romântico, que está se resguardando para o grande amor de sua vida. Já Fermina é uma jovem de personalidade forte, que apesar de, inicialmente, não querer obedecer às ordens de seu pai, que a obriga a casar-se com um jovem médico bem sucedido, acaba cedendo às pressões e não aceita o pedido de casamento de Florentino, casando-se então com o médico.

Mas, o amor de Florentino ultrapassa as barreiras do tempo, aliás, o tempo é um elemento bastante recorrente nas obras de Gabo (apelido de Gabriel García Marquez). Também o vemos com bastante relevância em Cien Años de Soledad (Prêmio Nobel em 1982), onde a família Buendía é condenada, inexplicavelmente, a viver cem anos de solidão. Assim, Florentino passa mais de 53 anos de sua vida a esperar por Fermina. Ele contabiliza fielmente seu tempo de espera, que dura exatamente 53 anos, 04 meses e 11 dias, até a morte do marido de Fermina.

Ao procurá-la, já viúva, Florentino encontra uma mulher amarga, cheia de pudor e com um certo preconceito de amar na sua idade; o que não é um grande problema para ele que, apesar da idade avançada, ainda cultiva o amor e o sexo com bastante disposição e naturalidade, contabilizando todas as mulheres que por ele foram amadas nestes pouco mais de 53 anos. Florentino procurava em cada uma dessas mulheres um pouco da Fermina por quem se apaixonara na juventude.


O Amor nos tempos do Cólera é uma belíisima história que narra a vitória do amor sobre o tempo. Nada pode apagar um sentimento tão puro e tão sublime. Florentino e Fermina, mesmo já tendo vivido separados grande parte de suas vidas, retomam um amor de 53 anos perdidos, provando assim a mais bonita máxima da obra: "que o amor é amor em qualquer tempo e em qualquer parte."


Nota:
Para finalizar, necessário é dizer que a produção cinematográfica, apesar de boa, não substitui a obra. A reprodutibilidade da indústria cultural de cinema reduz em muito a complexidade da obra literária. Além disso, o roteiro é um texto redutivo, adaptado, que pode sim comprometer a completude do texto original. Mesmo assim, O elenco é maravilhoso. Porém, sabe-se que é muito difícil para atores espanhóis interpretar um texto todo em inglês. O sotaque das personagens soa meio estranho, sem contar que o inglês de Fernanda Montenegro também não é nada muito bom (mas ela pode!). No entanto, este pequeno detalhe não compromete fortemente a excepcional interpretação dos atores que, do início ao fim, demonstram uma excelente performance. Apesar de alguns exageros, que até dão um certo ar cômico ao filme, a produção do inglês Mike Newell não foge tanto à fidedignidade do texto colombiano. O filme é realmente a cara do Gabo! Recomendo! -:)

Um comentário:

Marília Fulô disse...

Gabo... sem palavras! :-)